A Mentira é Azul – A Voz do Associado do CRF

A Mentira é Azul

Os Atuais dirigentes do Flamengo estão divulgando um resultado de balanço, que segundo os azuis, o Clube terá um lucro de 89 Milhões de reais EBITDA. Trata-se do lucro antes das deduções de juros, impostos, depreciações e amortizações. É uma sigla em inglês de Earnings Before Amortization. Se contabilizadas corretamente, estas despesas ultrapassaram 100 Milhões. Ou seja, o resultado será NEGATIVO.
Os Azuis apostam na falta de conhecimento do associado e da mídia e usam tática de campanha da Dilma. MENTIRAS E MAIS MENTIRAS. A MENTIRA É AZUL.
Willian Santos
Sócio Benemérito

Sonar da Gávea a Voz do Associado do CRF.

Envie o seu texto para sonar@sonardagavea.com , aqui a sua opinião importa.
Anúncios

Eleições no Clube de Regatas do Flamengo 2015 : DUAS ARTIMANHAS ADOTADAS NESTE AGOSTO DE 2015

Episódio 21

DUAS ARTIMANHAS ADOTADAS NESTE AGOSTO DE 2015

Dentre as Artimanhas, adotadas por esta atual gestão azul neste agosto de 2015, duas se destacam por serem de suma importância para a sobrevivência daquele CRF que herdamos dos antepassados que ajudaram a construir esta Nação Rubro-Negra; agora cobiçada pelos “noviços” que adentraram no CRF, rasgam a letra estatutária, e se auto intitulam como sendo os “Donos das Verdades do CRF”, as quais não conheciam, e ainda não conhecem, por não saberem que: “Verdade é um valor relativo e de ponta”.

A Primeira das Artimanhas diz respeito aos “Associados Eleitores”

Considerando que esta última semana de agosto é, estatutariamente, a Derradeira Semana para todo e qualquer “Associado Eleitor do CRF”, que pretenda poder Votar na próxima Eleição Geral de 2015, possa regularizar sua situação pecuniária (leia-se, estar em dia com o pagamento das suas mensalidades) junto a Secretaria Geral do CRF; isto porque, aquele “Associado Eleitor” que até o final de agosto de 2015, não tiver regularizado esta pendência, estará, irremediavelmente, excluído da “Relação de Eleitores da Assembleia Geral” para 2015, que, estatutariamente, é o documento oficial que habilita todo e qualquer “Associado Eleitor do CRF”, a poder Votar nesta Assembleia Geral do CRF, que ocorrerá em dezembro de 2015.

Em qualquer gestão, que queira preservar o “Equilíbrio Social” e/ou a “Transparência nos Atos Administrativos” e/ou para evitar futuros “Descontentamentos”, os “Poderes” do CRF poderiam adotar a “Boa Conduta” de, preliminarmente, alertar e, até quem sabe, proclamar aos quatro ventos, como costumam fazer com seus eventos promocionais, de que aqueles “Associados Eleitores do CRF” que, até o final do mês de agosto de 2015, não estiverem em dia com suas obrigações pecuniárias para com o CRF (estar com o pagamento das suas mensalidades regularizadas), ficarão, automaticamente, excluídos da “Relação de Eleitores da Assembleia Geral” e, como via de consequência, todos os associados inadimplentes serão

impedidos de votarem na próxima Eleição Geral de Dezembro de 2015.

Senhores associados do CRF:

Consideremos que os atuais gestores de “Boa Fé” já deveriam ter dado este Alerta a todos os associados, até por “fé de ofício”; mas como eles ainda não o fizeram, e para evitar haver surpresas e decepção, na vigésima quinta hora, quando nada mais poderá ser feito para sanear este deslize que possa vir a ocorrer, é que estamos fazendo este Alerta sobre a necessidade de cada associado honrar, em tempo hábil, a sua exigida obrigação pecuniária com o CRF, para poder Votar em 2015, pois:

O CRF espera que, em 2015, cada um cumpra com o seu dever cívico.

Importante também, que o Quadro de Associado, como um todo, pelo bem das boas práticas do clube, possa fazer saber a todos e a qualquer conhecido próximo, também associado, sobre esta obrigação, que se encerra impreterivelmente no dia 30 de agosto!

A Segunda das Artimanhas diz Respeito às Renúncias de Vice-Presidentes

Rodrigo Tostes, vice-presidente Financeiro do CRF, foi mais um vice-presidente “nomeado” a renunciar abruptamente, por politicagem oportunista e interesseira, e sem nenhum escrúpulo ao cargo para o qual fora “nomeado” pelo EBM; este ato só fez tumultuar, mais ainda, este momento crítico e nevrálgico, porque passa o nosso CRF, nesta gestão azul.

Esta foi mais uma renúncia abrupta de uma série, já previamente anunciada, e em andamento, que teve seu inicio com a renúncia do Bap, e cuja origem foi à ruptura entre ele – Bap – e o EBM, por consequência do EBMnão aceitar haver a submissão do Presidente do CRF”, em manter o poder total sob a égide de uma Eminência Parda.

http://globoesporte.globo.com/futebol/times/flamengo/noticia/2015/08/vice-de-financas-do-fla-tostes-deixa-cargo-e-vai-compor-chapa-de-wallim.html

O pessoal do grupo do Bap, por instrução e orientação pessoalmente dele (Bap), já começou a entrega dos seus cargos, um a um, feitos sempre em momentos oportunos, para asfixiar a candidatura para a reeleição do EBM. Ás favas os interesses do CRF!

Outras renúncias mais, de outros vice-presidentes “nomeados”, que são intensamente ligados, dependentes e de total fidelidade para com a Eminência Parda, ainda virão.

Esta tática de esvaziamento gradual, por asfixia, e com “fogo amigo”, contra a reeleição do EBM – presidente eleito do CRF, já era previsível; posto que, esta tática é acadêmica, milenar, rastaquera, consta de qualquer “Almanaque de Capivarol” e sempre é muito danosa para qualquer instituição que a adota.

É o tal princípio maquiavélico de: “Dividir para Conquistar”.

Considerando que a Eminência Parda da Gávea (o Bap), é uma exímia conhecedora da arte maquiavélica de saber fazer iludir com “Mentiras Verdadeiras”; e que detêm uma técnica, que é de fazer inveja as melhores escolas sofistas; e como ela também é sabedora de como jogar o jogo sujo, quando lhe interessa; tal qual faz o PT; pode-se observar, por esta ótica, que não haverá nenhuma chance de o EBM vir a vencer este pleito de 2015, pois os fiéis seguidores do Bap – outrora seus aliados – irão sempre procurar desidratá-lo em permanentes doses homeopáticas graduais.

Isto porque, esta Eminência Parda sabe tudo sobre os azuis (tanto os originais, como os desbotados), que ela mesma o criou e geriu. Tenham certeza de que, mais outras renúncias ainda virão; pois para esta Eminência Parda da Gávea (Bap), vale tudo para continuar na mantença do poder no CRF; até pela própria natureza da gênesis, de se ter, na Gávea, a existência de uma Eminência Parda.

Pelo Amor àquele tradicional CRF, que herdamos de antepassados, espera-se de cada Rubro-Negro Autêntico, que se dê uma trégua às vaidades pessoais e ajudem a salvar o que resta do CRF que herdamos antes de surgir, na Gávea, a existência desta Eminência Parda, que gere as coisas do CRF de seus escritórios em São Paulo.

Para tal, urge aos associados que dizem ser de “Oposição” a esta gestão azul, que façam todos os esforços para ajudar a agregar, no entorno de um nome de consenso, que tenha recursos técnicos e financeiros para poder sustentar as necessárias mudanças nesta campanha de 2015.

Que ninguém duvide que, a permanecer neste atual quadro politico, o vencedor desta eleição de 2015, já está identificado, pelo grau de informação que hoje ele tem de CRF. Não há o que se argumentar no sentido contrário; insistir neste atual diapasão politico, será travar uma luta inglória; será querer jogar dinheiro fora, para apenas assistir este atual CRF se transmutar num enorme e crescente “balcão de negócios”, que serão direcionados a terceirizações feitas “entre amigos” e com salários astronômicos para os “escolhidos” por alguns poucos.

Este é o Alerta que deixamos para aqueles que ainda se preocupam, e sonham, em ter na Gávea, aquele outro CRF, que herdamos dos antepassados; pois ALIA JACTA EST.

O Alerta apenas apresenta os fatos; e contra fatos não há argumentos!

O Alerta busca dar transparência aos fatos.

Siga o Blog do Alerta – Clique aqui

http://alertaflamengo.blogspot.com.br/

https://somostodosflamengo.com/

Nosso Clube Social – Sonar da Gávea – A Voz do Associado do CRF

Nosso clube parece que esta numa redoma negra… Onde antes eu via centenas de meninos, crianças e jovens correndo, praticado esportes, aprendendo nas escolinhas, onde antes eu via varias pessoas se confraternizando nas piscinas, praticando esportes, nas academias… Lutas. Hoje apenas uma imagem triste do que poderíamos ser. Muitos espaços vazios, uma área social pouco utilizada, sem vida. Ainda existem os heróis que teimam em estar ali, por amor, por zelo, por fidelidade ao clube que tantas alegrias nos deu. Mas alegria, hoje, não é mais o que se vê no clube como antigamente! Parece que estamos ali por obrigação. Obrigação de não deixar, não abandonar o clube nas mãos de quem não sabemos o interesse real com as coisas do clube. Existe uma névoa. E ela só será dissipada com o sopro de vida que os associados possuem! Frequentando e participando, procurando saber as verdades, a história do clube. E colaborar para que, enquanto existir um Rubro Negro, não importa onde estiver, o Flamengo tenha sua história e grandeza jamais apagada dos livros dos esportes e luta diária do nosso povo! Eu creio que mudanças estarão vindo. Dessa vez, mudanças de verdade. Sem falácias!

SRN!!!

Chico Mauro
Conselheiro CRF


Sonar da Gávea a Voz do Associado do CRF.

Envie o seu texto para sonar@sonardagavea.com , aqui a sua opinião importa.

POR QUE TROCAR DÍVIDA PÚBLICA POR PRIVADA?

DAS VERDADES VERDADEIRAS

Que o associado gostaria de conhecer

Episódio 03

POR QUE TROCAR DÍVIDA PÚBLICA POR PRIVADA?

Será que valeu a pena o CRF trocar a sua Dívida Pública por Dívida Privada, onde o custo do dinheiro é mais agressivo (e o mercado é sabedor que somos contumazes devedores)?

Doutra feita, partindo da informação amplamente divulgada de que a Dívida do Clube era de R$ 750 milhões; valor este que nunca foi contabilmente comprovado, nem se quer auditado. Há que se esclarecer como se chegou a este valor (de R$ 750 milhões), para que não se possa vir a ser insinuado de ter havido as tais “pedaladas fiscais”. Isto porque, em 31/12/2012, o total da dívida do Flamengo, com impostos e contribuições sociais, registrava o montante deR$ 400.234.513, segundo os apontamentos contábeis oficiais da Gávea, e a Rubrica “Empréstimos” registrava, em 31/12/2012, o montante total de R$ 85.197.617. Entretanto, agora, no Balanço Patrimonial de 31/12/2014, esta mesma rubrica “Empréstimos”, registra o montante de R$ 140.617018; ou seja, houve um acréscimo da dívida do CRF de R$ 55.419.401 (65,05%, de acréscimos).

Seria de boa conduta gerencial, se também pudesse ser esclarecido, pela a atual diretoria, por que demitiu cerca de 200 funcionários sob a alegação de redução de despesas (explícita no Balanço Patrimonial de 2014) e, em contrapartida, houve um aumento monetário de 17% no total do item: “Despesa com Pessoal”. Será que houve acréscimos, dos atuais “super gerentes”, com os seus elevados salários?

Considerando, também, que no Balanço Patrimonial de 2014 do CRF:

  • ·        não foram incluídos, na rubrica “RECEITAS”, os valores referentes à venda do jogador Hernane, que todos sabem que ainda não foi recebida, e pelo andar da carruagem está a caminho das calendas gregas, onde os jogadores profissionais do CRF são vendidos, mas não há a contrapartida em sonante. Manobras já bem conhecidas, pelos casos Ibson, a Pentland, o Renato Augusto, etc…;
  • ·        não colocaram provisão para contingenciamento, relacionada com a multa do Banco Central, que constava no balanço de 2012; valor este que beirava os R$100 milhões; talvez motivado pela argumentação de “doutos técnicos” que “acham”, e “estimam”, como “POSSÍVEL”, haver probabilidade de êxito nestas ações; mas que isto só fez mascarar o Balanço Patrimonial de 2014, de forma artificial.
  •    Já vimos estes mesmos argumentos, como no caso Edmundo e o empréstimo para construção do tal Shopping na Gávea, e cujo custo da mazela está, até hoje, pendurado nas pendências das contas das dívidas do CRF.

Diante de tantas incertezas, como as que aqui foram expostas, há que se esclarecer aos associados, como derradeiro, como é que o Clube conseguiu encontrar um enorme superávit em janeiro de 2015, mesmo sem possuir um único centavo em caixa e, do porquê, e por conta disso, o CRF -para começar o ano de 2015- já precisou tomar com o mercado, empréstimo novo, de quase R$ 37 milhões.

Foi a análise do Balanço Patrimonial de 2014 que escancarou estas distorções, que não querem calar, e que precisam ser esclarecidas; como esclarecidas também precisam ser quais as medidas tomadas para salvaguardar e preservar o patrimônio do CRF, a sua Sede Social e a retomada da frequência dos associados ao Clube.

A dura realidade é que estes valores, pouco transparentes, e que não foram explicitamente declarados, contribuíram, em muito, para o tal propagado superavit, divulgados por estas contas “virtuais” apresentadas, e que nos dão sinais de estarem “mascarando” as reais rubricas do Balanço Patrimonial do CRF.

Há que se clarear estas pendências e esclarecer essas inverdades.

Com a palavra, o Conselho Diretor.

Curta nosso Facebook Aqui!

Faça parte da nossa Rede Google +

O PROGRAMA SÓCIO TORCEDOR DO FLAMENGO É INSUFICIENTE. NÃO CONTÉM A DEDICAÇÃO, NEM O PLANEJAMENTO ADMINISTRATIVO ADEQUADO, PARA O SEU ÊXITO.

DAS VERDADES VERDADEIRAS

Que o associado gostaria de conhecer
 
Episódio 04
 
O PROGRAMA SÓCIO TORCEDOR DO FLAMENGO É INSUFICIENTE.
NÃO CONTÉM A DEDICAÇÃO, NEM O PLANEJAMENTO ADMINISTRATIVO ADEQUADO, PARA O SEU ÊXITO.
     Lançado em março de 2013, como uma das principais plataformas de atuação da nova diretoria (alardeada como a grande possibilidade de fazer elevados investimentos na equipe), encabeçada pelo presidente Eduardo Bandeira de Mello, o Flamengo não alcançou –após esses mais de DOIS ANOS- o seu devido patamar, em contrapartida aos seus 40 milhões de torcedores.
Em um paralelo a dois outros Clubes brasileiros (Internacional e Palmeiras, sendo ambos de menor expressão, em relação ao tamanho de suas torcidas) o quadro demonstrativo abaixo mostra, adequadamente, como os Clubes alcançaram patamares superiores, em relação ao Flamengo, nos meses equivalentes de seus melhores desempenhos:
No caso do Palmeiras, ele conseguiu novas adesões, entre os demais programas de Sócios-Torcedores, em cerca de 29 mil Sócios Membros, atingindo a marca de 83.789 membros (bem mais elevado que o Flamengo, em DOIS ANOS, com cerca de 54 mil membros) de cerca de 20 mil Sócios Membros, apenas em um mês: janeiro de 2015. Já o Internacional, recordista de Sócios Membros, é o líder do ranking total, com mais de 130.000 Sócios Membros.
MELHORES DESEMPENHOS DOS CLUBES, MÊS A MÊS.
CLUBE
SÓCIOS MEMBROS
PERÍODOS
Palmeiras
19.278
Jan/2015
Flamengo
19.247
Nov/2013
Flamengo
14.209
Abr/2013
Cruzeiro
13.835
Fev/2013
Cruzeiro
13.177
Mai/2013
Palmeiras
11.200
Nov/2014
Corinthians
11.092
Abr/2013
São Paulo
10.170
Fev/2013
Bahia
8.461
Set/2013
Corinthians
8.393
Jan/2015
Em meio aos conhecidos desacertos da atual gestão, nessa matéria, os conflitos internos prejudicam essa modalidade de receita arrecadatória, diante dos conflitos de vaidades e de gestão, entre o presidente Bandeira e o seu ex-vice de Marketing Luiz Batista – BAP.
Recentemente, a diretoria demitiu o funcionário Fred Mourão, um dos responsáveis pelo desenvolvimento do programa de Sócio Torcedor do Clube, que era o titular da gerência desse programa, por possuir relacionamento e era funcionário indicado por BAP. Essa demissão possui aspectos políticos, em virtude do racha entre BAP e o presidente Eduardo Bandeira de Mello.
Não sendo bastante essa demissão (além de Mourão), o responsável pelo setor de lojas do Clube: Guilherme Moneratt, também foi demitido do departamento.
O programa de Sócios Membros do Clube permanece estacionado no número de assinantes e em abril é um dos que tiveram maior número de desistências, no Brasil. Atualmente, o Nação Rubro-Negra tem cerca de 54 mil Sócios Membros.
Além de estacionário, com alto custo operacional, o programa “Nação Rubro-Negra” está, hoje, na casa dos 33% de sua receita, no que o inviabiliza, sobretudo pelas suas desistências.
Em outra análise comparativa, que identificamos até com motivos de chacotas, em sites de torcidas (já que se acham como um Clube semelhante em torcidas equivalentes), o Corinthians, na primeira semana de abril/2015, chegou a marca de mais 90 mil Sócios Membros ao programa “Fiel Torcedor”, programa de Sócios Torcedores criado pelo Clube, que, após, aperfeiçoado com a criação de sua Arena Itaquera, registrou o número de 90.441 Sócios Membros, ficando apenas atrás de Internacional e Palmeiras no ranking geral. Os dados foram obtidos do “Movimento por um Futebol Melhor”.
Segundo essa mesma fonte, o Corinthians ganhou mais de 23 mil Sócios Membros, o segundo maior crescimento de 2015. Acrescenta, ainda, que o “Fiel Torcedor” terá novas diretrizes a serem divulgadas, com a intenção de adequar o programa à Arena Corinthians e oferecer novas opções de pacotes mais baratos aos associados/membros.
Enquanto isso, continuamos “patinando”, em uma ladeira descendente, em contraponto aos nossos 40 milhões de torcedores…
Com essas comparações paulistas (Corinthians e Palmeiras), fica claro que essa ascensão possui dois ingredientes básicos: esses dois times cresceram, nesse ano, por conta dos investimentos realizados em seu futebol, em contratações, com times mais expressivos em seus elencos –com bom futebol-, além das construções de suas Arenas.
Dois dos mais importantes pilares, para esse incremento!
Tendo como fonte o “Futebol Melhor”, segue abaixo outro quadro demonstrativo, recente (março de 2015), demostrando a qualificação dos dez Clubes com o maior número de sócios torcedores, no país:
Top 10 clubes com mais sócio-torcedores do Brasil (2015)

Rank
Clubes
Estados
Sócios
Valor por sócio Anual
Internacional
RS
130.205
R$240.00 a R$12.000
Palmeiras
SP
100.109
R$119.88 a R$7.188,00
Corinthians
SP
83.356
R$160.00 a R$720.00
Grêmio
RS
81.012
R$312.00 a R$540.00
Cruzeiro
MG
68.932
R$144.00 a R$2.640,00
Santos
SP
57.470
R$235.00 a R$1.200,00
Flamengo
RJ
54.438
R$358.80 a R$2.398.80
São Paulo
SP
52.366
R$144.00 a R$1.200,00
Atlético
MG
40.287
R$420.00 a R$4.080,00
10°
Bahia
BA
24.021
R$480.00
Fonte: Futebol Melhor. Atualizado dia 10/03/15
Dessa representação gráfica, podemos extrair uma especial reflexão: o Flamengo ocupa a terceira posição, em termos de custo anual, ao Sócio Torcedor, para a inicial parcela contributiva de seus Sócios Membros. Perdendo, somente, para o Bahia e o São Paulo, que, por suas colocações do referido ranking, encontram-se, também, na rabeira dos “Top 10” do futebol brasileiro.
Fica, então, demonstrado que uma revisão geral desse escalonamento contributivo deveria ser realizada, já que a maior parcela de Sócios Membros está nas classes sociais menos favorecidas, sobretudo por sermos um time de massa, onde ela se encontra.
Em termos percentuais, estamos mais caros que o Internacional –primeiro ranqueado-, em cerca de 50%, e quase 200% em relação ao Palmeiras, que ocupa a segunda posição, dentre os “top 10”, em sua franca ascensão contributiva.
 
Outra importante verificação deve ser parametrizada com o Internacional, onde acreditamos ser o primeiro Clube a despontar nessa proposta contributiva, com o associado/membro e torcedor.
Nos idos de 2010, desloquei-me do Rio de Janeiro com o meu filho, ao antigo Beira-Rio, assistir a nossa derrota por 1 x 0, quando verificamos a especial acolhida que era dada aos seus Sócios Membros:
– uma sala externa dedicada, exclusivamente, aos Sócios Membros;
– a participação de inúmeros “mascotes” presentes ao centro do gramado, aguardando a entrada dos jogadores. Tudo muito organizado;
– sorteios no intervalo do jogo e ao final, de camisas e uniformes do Clube;
– especial entrada ao estádio, dedicada aos citados membros…
Tudo isso em seu favor, no que identifiquei, apenas, aos olhos, pois com certeza outras questões benéficas deveriam lá existir.
Com a certeza que o Internacional é um parâmetro a ser seguido, em rápida pesquisa realizada, ficou claro os motivos de sua expressão:
– em outubro de 2013, a Ambev (principal carro-chefe do projeto) comemorou o projeto “Movimento por um futebol melhor” ter alcançado a marca de 600 mil torcedores;
– no citado ano, o Internacional era o Clube que detinha cerca de 18% de todos os Sócios Membros cadastrados pelo programa (praticamente 106 mil Sócios Membros), detendo cerca de 1,9% de sua torcida (cerca de 5,7 milhões de pessoas segundo o levantamento Ibope de 2013) associada ao clube, que, naquela oportunidade, era maior que o Barcelona, em número de Sócios Membros. No que estamos falando de um Barcelona, uma potência mundial;
– o Inter buscou um caminho para atrair o seu torcedor e ganhar dinheiro, com a criação do “Sócio Torcedor” e deu a quem fosse contribuinte o direito a entrar gratuitamente no estádio. Nesse mesmo ano (2013), arrecadou mais de R$ 40 milhões, como receita proveniente do programa.
Desta forma, além dos dois pilares centrais acima relatados, podemos dizer que o pilar central está calcado em fazer com que o torcedor sinta-se motivado e “obrigado” a ser Sócio Membro, constituindo-se na importância da paixão do torcedor pelo clube seja correspondida.
Os números do Colorado, com cerca de 6 milhões de torcedores e quase 2% de Sócios Membros demostram que o Flamengo possui potencial para o crescimento do seu programa “Sócio Torcedor”. No que, em um paralelo, essa marca percentual nos daria um total de 800.000 Sócios Membros.
Para isso, porém, a atual diretoria deveria, inicialmente, parar com as disputas internas na área de marketing (vale aqui citar que o novo ambiente desse setor, no terceiro andar de nossa Sede Social, possui elevado número de funcionários, não precisando de possuir uma empresa terceirizada –de elevado custo- para cuidar de nosso programa) e, principalmente, ter vontade de trabalhar e se dedicar de forma diuturna ao mencionado projeto, com gente capaz e competente, no desenvolvimento e aperfeiçoamento do programa.
 
Com a palavra o Conselho Diretor.
O Alerta apresenta os Fatos e contra Fatos não há argumentos !
 http://ymlp.com/zNehn7

UM FLA X FLU COM QUEBRA DA “LITURGIA DO CARGO” PELA FALTA DE “DECORO INSTITUCIONAL”

UM FLA X FLU COM QUEBRA DALITURGIA DO CARGOPELA FALTA DEDECORO INSTITUCIONAL
  A matéria publicada no EXTRA/GLOBO de ontem, 01/06/2015, (http://extra.globo.com/esporte/flamengo/arbitro-do-classico-fla-flu-relata-insultos-de-rodrigo-caetano-do-presidente-bandeira-de-mello-16318220.html), e que foi veiculada na maioria dos sites esportivos do país, sobre os repentes e destemperos atribuídos ao presidente do Clube Mais Querido do Mundo, relacionada com a arbitragem do último Fla x Flu, é altamente preocupante, e será muito duro para a instituição CRF, se o seu dirigente maior, for punido, tanto pela falta de “Decoro Institucional”, como pela falta de respeito à “Liturgia do Cargo”, condições que são exigidas para quem ocupa a presidência do Clube Mais Querido do Planeta, como o é CRF.
 
Qualquer almanaque do Capivarol de gestão, mesmo que esportiva, aponta para o “equilíbrio do gestor” como sendo uma de suas principais características, pois esse adequado procedimento é o que se deve demonstrar aos seus subordinados, mesmo nos momentos de maior tensão de sua atividade.
Que um dos nomeados pelo “Gestor Maior, ultrapasse a linha do equilíbrio institucional exigido, como o fez um dos dirigentes nomeados, é comum acontecer; mas quando “Gestor Maior”, age como Bakunin, ao ponto de o “Nome do Dirigente Maior” ir parar na súmula do árbitro, como “Perturbador da Ordem Instituída”, é sinalização de que a instituição deve estar febril.
Já dizia Albert Einstein: “No meio da confusão, encontre a simplicidade. A partir da discórdia, encontre a harmonia. No meio da dificuldade reside a oportunidade”.
Parece que, atualmente, no CRF, esteja faltando esse especial momento, em meio à crise atual em que estamos passando. Sejam elas em nosso futebol (deplorável) e/ou nas discórdias existentes nos conflitos internos (na Gávea), com o antigo VP de marketing e seus seguidores (afastados), bem como na condução do nosso principal “carro-chefe”: o Futebol!
Saindo dos solos da Gávea, a atual polêmica institucional, com o presidente da FERJ (Rubinho) extrapolou para os gramados, no deplorável jogo de ontem (Fla x Flu), em acusações de desatino ao árbitro (sem entrar no mérito da sua atuação), colocando-o em confronto à peleja, em seu desenrolar, para o segundo tempo do jogo, no que poderia piorar, ainda mais, a nossa situação, na partida.
O desvario ao árbitro não seria uma contrapartida à atual “distonia”, reinante nos descaminhos e desacertos apontados em nosso futebol? Onde impera os desmandos e opiniões de antigos cardeais, que ainda continuam mandando no Flamengo (apesar de promessas de campanha), indicando dirigentes (PELAIPE) e jogadores deteriorados (CARLOS EDUARDO), em busca de negócios alheios ao Clube, garantindo as suas intervenções e outras questões não vinculadas aos interesses do CRF?
Como dito na matéria do mencionado jornal: “Uma arbitragem que é a cara do futebol 7×1”; parece que a mesma se espelha na atual “gestão” do Clube Mais Querido do Mundo!
Por fim, reproduzimos abaixo, um trecho da matéria que cita os fatos ora comentados:
Rodrigo Caetano e o presidente Eduardo Bandeira de Mello foram parar na súmula do juiz por, no intervalo do primeiro tempo, ter ido ofender o árbitro pelo pênalti risível que foi dado. A reclamação, aos moldes de Eurico Miranda e iguais, vai de encontro com tudo o que o Flamengo passou um campeonato inteiro combatendo. Esse tipo de postura é inacreditável para quem combate o estilo futebol de várzea que, muitas vezes, os campos brasileiros viu. O juiz considerou uma ofensa ser comparado a federação carioca do rio e ele está certo. É uma ofensa lamentável, assim como é lamentável um presidente e um responsável pelo futebol achar que ir pressionar o juiz em saída de campo é solução para alguma coisa. Mandar os jogadores se portarem como homem, honrarem o Manto, ninguém vai né? Flamengo passou 30 minutos com um a mais para fazer um gol no Fluminense. Vamos olhar mais para a nossa incompetência e deixar que os responsáveis cuidem da incompetência alheia.”
                     
O Alerta apenas apresenta os fatos e conta fatos não há argumentos !
Siga o Blog do Alerta – Clique aqui

DOIS REGISTROS DE DESTAQUES NO CRF, A SEREM OBSERVADOS.

DAS VERDADES VERDADEIRAS
 
Que o associado gostaria de conhecer
Episódio 07
DOIS REGISTROS DE DESTAQUES NO CRF, A SEREM OBSERVADOS.
Para a sobrevivência da instituição CRF.
Nesta última quarta feira, dia 04 de junhode 2015, aconteceram, 02 (dois) fatos inusitados e irreversíveis com o CRF:
O Primeiro deles, no futebol do CRF, quando se registrou a sua pior marca na historia do CRF, no Campeonato Brasileiro.
Até aí, poderíamos considerar isto como sendo uma fatalidade indesejável, que produzida pelo grupo político que se autodenominou “Flamengo Campeão do Mundo”; ou seja, eles se apropriaram de um título, do qual nunca sequer tiveram qualquer participação, em qualquer campeonato, de qualquer modalidade desportiva, pelo CRF; Ou seja, venderam “Ouro de Tolo”. 
O Segundo deles, é que o CRF inaugurou, nas suas dependências da Gávea, a instalação comercial de uma BOATE, com fins econômicos (lucrativo) que, inclusive, já fora cantada em proza e verso, e com antecedência, para todo o mundo, quem quisesse conhecê-la. 
Ou seja, o CRF, inaugurou uma BOATE aberta para o público em Geral, nas suas dependências como instituição clubistas, que o é.
 
Esta inauguração, de uma BOATE aberta para o público em geral, que foi feita com a aquiescência, e conivência, dos seus mandatários maiores, poderia ser até louvada, não fora 02 (dois) registros históricos que poderão a vir manchar, tanto a história centenária, como a existência, da instituição Clube de Regatas FlamengoCRF.
Que não se diga agora que tudo está sendo feito por terceiros, que não o CRF, e amparado por qualquer outro tipo de contrato paralelo de vínculo com o CRF, para atender a qualquer exigência menor, de cláusula contratual inserida no texto contratual.
A saber, sobre a tal BOATE aberta para o público em geral:
A sede da Gávea do CRF, não tem habite-se; portanto, não poderia abrigar, nas suas dependências de instituição clubistas, a inauguração de uma BOATE aberta para o público em Geral, onde se exige princípios mínimos de segurança, impostos pelas autoridades competentes, para este tipo de atividade comercial, como a licença do Corpo de bombeiros e o competente Alvará de concessão dos órgãos públicos, para funcionamento de uma BOATE, que só podem ser obtidos como a obtenção do referido “HABITE-SE”, conforme critérios estabelecidos, e previsto no DECRETO n° 29.881, de 18 de setembro de 2008, da cidade do Rio de Janeiro, e suas alterações posteriores.
Isto é uma indisciplina cívica (não consultar os poderes competentes, para obter as licenças impostas e exigidas) que poderá causar danos irreparáveis  ao CRF (vide o caso da Boate Kiss no RGS).
O que agrava mais ainda esta nova atividade clubista, de ter uma boate aberta para o público em geral, na sua sede social, sem habite-se, é que isto está sendo feito em detrimento aos associados, e em beneficio de alguns poucos, que nunca foram associados, mas que tenham recursos pecuniários para pagar um ingresso de uma casa de diversão, numa instalação de uma associação, constituída “sem fins econômicos”. Ou seja, agrediram o solo da Gávea, construído pelos associados e o objeto social do CRF, que é uma instituição centenária.
Como se isto não bastasse, estão também agredindo o que é mandatório e previsto no Art. 53, do livro I, do CCB Código Civil. BrasileiroCCB, que é onde se impõe o que permite se constituir uma associação.
Ou seja, o CRF pode deixar de ser uma “Associação que se organiza para fins não econômicos” (previsto no Art. 53, do livro I, do CCB) para passar a ser uma Sociedade Empresarial (previsto no Art. 966, do Livro II, do CCB), onde se permite “exercer profissionalmente atividade econômica para produção ou circulação de serviços”.
O CRF, não pode ocorrer neste risco; Há que se preservar o ditame do Art. 53, do livro I, do CCB, onde determina que: “uma Associação é uma união de pessoas que se organizam para fins não econômicos”.
Relembrando Rui Barbosa:
Nada pode haver neste mundo mais perigoso, mais triste e mais humilhante do que a condição de se achar um homem sujeito ao arbítrio sem freio de outro homem” (discurso pronunciado no Senado em 1910).
“A lei é a origem espiritual, o princípio necessário de toda obediência: não pode haver absurdo mais absurdo que reclamar a obediência, desobedecendo à lei”.
O “ALERTA” está apenas ressaltando os fatos ocorridos, e tentando mostrar as consequências sobre os acontecimentos aqui registrados.
O ALERTA apenas apresenta os fatos; contra fatos não há argumentos!
 
Com a palavra o Conselho Diretor.
Siga o Blog do Alerta – Clique aqui